Open/Close Menu A Diocese de Viseu é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica em Portugal

Local de culto é um dos pontos mais emblemáticos desta devoção mariana.
O Santuário de Nossa Senhora da Conceição, em Vila Viçosa, na Arquidiocese de Évora, acolheu esta sexta-feira peregrinos de todo o país para a celebração da solenidade da Imaculada Conceição, padroeira de Portugal.
As comemorações, naquele que é um dos pontos mais emblemáticos da devoção portuguesa à Imaculada Conceição, começaram às 09h30, com o acolhimento aos peregrinos e a oração do terço.
Às 11h00 teve início a eucaristia da solenidade da Imaculada Conceição, e procissão em honra de Nossa Senhora da Conceição, que percorreu as ruas de Vila Viçosa a partir das 15h00.
Numa entrevista à Agência ECCLESIA, o reitor daquele santuário sublinhou um evento muito significativo para todos os portugueses, num local que todos os anos é visitado por “milhares de peregrinos e turistas”.
“Há gente que às vezes pode nem participar na Missa de domingo, é engraçado, mas a devoção é grande e acorre aqui muita gente”, salienta o padre Francisco Couto.
O Santuário de Nossa Senhora da Conceição, em Vila Viçosa, já recebeu também a visita de um Papa, o agora São João Paulo II, em 1982.
A história daquele local de culto está ainda ligada à instituição de um dos principais dogmas da Igreja Católica.
Em 1646, depois de assegurada a independência portuguesa de Castela, o rei D. João IV ligou esse feito à intercessão de Maria e consagrou Nossa Senhora da Conceição como padroeira de Portugal.
“Reza a história que deixou de usar coroa e concedeu uma réplica da sua coroa à imagem que veneramos atualmente no Santuário”, conta o padre Francisco Couto, que destaca a ligação deste acontecimento à decisão da Santa Sé em adotar como dogma a ‘imaculada conceição’ de Maria, em 1854, durante o pontificado do Papa Pio IX.
“Portugal já era palco de uma discussão ligada à Imaculada Conceição, e é magnífico perceber que um reino e o seu rei se dobram diante desta que é mãe e mãe da Igreja, sinal e símbolo da Igreja”, considera o sacerdote.
Situado no interior do castelo de Vila Viçosa, o santuário nasceu graças ao contributo de D. Nuno Álvares Pereira, hoje São Nuno de Santa Maria.
Foi esta figura histórica nacional que mandou erguer a igreja de Nossa Senhora do Castelo e consagrou aquele templo (o santuário primitivo) a Nossa Senhora da Conceição, depois de ter derrotado as forças castelhanas na batalha de Aljubarrota, em 1385.
Por ano, acorrem a Vila Viçosa cerca de 8 mil peregrinos, nacionais e estrangeiros, com relevo para países como Itália e Angola.
A Solenidade da Imaculada Conceição está em destaque na edição de 8 de dezembro do Semanário ECCLESIA.
“Nossa Senhora e a História de Portugal” é o título do livro de D. Francisco Senra Coelho, apresentado esta sexta-feira, em Braga.
D. Francisco Senra Coelho, que presidiu à Solenidade da Imaculada Conceição no Santuário do Sameiro, a Ela dedicado, aborda a História de Portugal através de «sete alianças» marianas, fazendo uma leitura da nacionalidade pela presença de Maria em momentos determinantes para a independência de Portugal, desde a constituição da nacionalidade, às lutas contra Castela, à Restauração da Independência e às Invasões Francesas.
“Portugal é uma Pátria com Mãe! Não uma Pátria órfã, sem saber de onde vem”, afirmou o bispo Auxiliar de Braga à Agência ECCLESIA.
G.I./Ecclesia: PR/JCP

CategoriaIgreja, Pastoral

© 2016 Diocese de Viseu. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: scpdpi.com

Siga-nos: