Open/Close Menu A Diocese de Viseu é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica em Portugal

Secretário-geral das Nações Unidas enviou mensagem Conselho Plenário dos Franciscanos reunido no Quénia.
O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou que a Humanidade “tem o direito de esperar e pedir” que os Frades Menores, na sua “presença e intervenção social”, sejam apóstolos da “fraternidade humana e da solidariedade ecológica”.
Na mensagem enviada à Agência ECCLESIA, António Guterres incentiva os Franciscanos a dar “prioridade aos temas e iniciativas de paz e de reconciliação”.
“Tanto no ensino e na pregação como em ações e diligências de denúncia da injustiça e de promoção do diálogo étnico, cultural e religioso”, explica no documento enviado ao conselho plenário da Ordem Franciscana que começou hoje em Nairobi, no Quénia.
O secretário-geral da ONU alerta que nas atuais circunstâncias do mundo “imperarem mais os interesses do que os valores”, por isso, “o mundo precisa” da Ordem dos Frades Menores e os religiosos “podem e devem” assumir “expressa e prioritariamente como Irmãos da Paz e Bem”.
“Uma vez que, por vocação originária e reiterada prática histórica, os Franciscanos se identificam como promotores da paz e embaixadores da reconciliação entre autoridades, povos e crenças”, acrescenta.
António Guterres alerta para a globalização de “evitáveis injustiças e sofrimentos”, para uma sociedade onde se “fomentam e proliferam” situações de guerra e de conflito entre povos, culturas e até religiões.
Para o secretário-geral das Nações Unidas a Humanidade “tem o direito de esperar e pedir” que em todas as “formas de presença e intervenção social” os Frades Menores assumam-se “expressa e prioritariamente” apóstolos da “Fraternidade humana e da Solidariedade ecológica”.
O Conselho Plenário da Ordem do Frades Menores começou hoje, em Nairobi, capital do Quénia, com o tema ‘Quem tem ouvidos, deixe-os ouvir o que o Espírito está a dizer… os Frades Menores hoje”.
Até dia 28 deste mês, os religiosos vão refletir sobre “as realidades contemporâneas do mundo, da Igreja e da Ordem”.
“À medida que nos aproximamos do oitavo centenário do encontro de São Francisco com o sultão al-Malik al Kamil, em 1219, esse encontro é um convite a incorporar uma vida de diálogo, buscando formas concretas de ouvir, discernir e colocar em prática”, explicam os Franciscanos no seu sítio online.
G.I./Ecclesia:CB

CategoriaIgreja, Pastoral

© 2016 Diocese de Viseu. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento: scpdpi.com

Siga-nos: